Dedico este blog à minha filha Thais, meu eterno amor, que partiu muito cedo para um lindo lugar... no outro lado da vida ..!!!

Seguidores

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Uma oração para o Ano Novo!


Senhor meu Deus, dono do tempo e da eternidade, Teu é o hoje e o amanhã, o passado e o futuro.
Ao acabar mais um ano, quero Te dizer obrigado por tudo aquilo que recebi de Ti.
Obrigado pela vida e pelo amor, pelas flores, pelo ar e pelo sol, pela alegria e pela dor, pelo que é possível e pelo que não foi.

Ofereço-te tudo o que fiz neste ano, o trabalho que pude realizar, as coisas que passaram pelas minhas mãos e o que com elas pude construir. Apresento-te as pessoas que ao longo destes meses amei, as amizades novas e os antigos amores, os que estão perto de mim e os que estão mais longe, os que me deram sua mão e aqueles que pude ajudar, os com quem compartilhei a vida, o trabalho, a dor e a alegria.

Mas também, Senhor, hoje quero Te pedir perdão.
Perdão pelo tempo perdido, pelo dinheiro mal gasto, pela palavra inútil e o amor desperdiçado.
Perdão pelas obras vazias e pelo trabalho mal feito, perdão por viver sem entusiasmo.
Também, pela oração que aos poucos fui adiando e que agora venho apresentar-te. Por todas as minhas falhas, descuidos e silêncios, novamente Te peço perdão.

Nos próximos dias começaremos um novo ano. Paro a minha vida diante do novo calendário que ainda não se iniciou, e Te apresento estes dias que somente Tu sabes se chegarei a vivê-los.
Hoje, Te peço para mim, meus parentes e amigos, a paz e a alegria, a fortaleza e a prudência, a lucidez e a sabedoria.
Quero viver cada dia com otimismo e bondade, levando a toda a parte um coração cheio de compreensão e paz.
Fecha meus ouvidos a toda falsidade e meus lábios a palavras mentirosas, egoístas ou que magoem.

Abre, sim, meu ser a tudo o que é bom.
Que meu espírito seja repleto somente de bênçãos para que eu as derrame por onde passar.

Senhor, a meus amigos que lêem esta mensagem, enche-os de sabedoria, de amor e paz.
E que nossa amizade dure para sempre em nossos corações.
Enche-me, também, de bondade e alegria, para que todas as pessoas que eu encontrar no meu caminho possam descobrir em mim, um pouquinho de Ti.
Dá-nos um ano feliz, e ensina-nos a semear e a repartir a FELICIDADE.

Amém!

(Desconheço a autoria).

Meus queridos amigos, agradeço de coração por suas visitas, pelos generosos comentários, por toda força, carinho e amor que recebo de cada um de vocês, em palavras tão lindas... isso realmente faz toda a diferença em minha vida, me faz muito feliz!
Sou imensamente grata em tê-los por aqui.
Obrigada também a todos aqueles que acompanham meu blog anonimamente.
Desejo a todos vocês um maravilhoso 2013, pleno de paz, amor, fé, e de esperanças renovadas!
Que no próximo ano possamos continuar juntos. 
Muita LUZ para todos!

FELIZ ANO NOVO!

domingo, 16 de dezembro de 2012

A dádiva de viver


Por vezes, você caminha pela vida com o olhar voltado para o chão, pensamento em desalinho, como quem perdeu o contato com sua origem Divina.
Olha, mas não vê...
Escuta, mas não ouve...
Toca, mas não sente...
Perdido na névoa densa que envolve os próprios passos, não percebe que o dia o saúda e convida a seguir com alegria, com disposição, com olhar voltado para o horizonte infinito, que lhe acena com o perfume da esperança.

Considere que seu caminhar não é solitário e suas dores e angústias não passam despercebidas diante dos olhos atentos do Criador, que lhe concede a dádiva de viver.
Sua vida na Terra tem um propósito único, um plano de felicidade elaborado especialmente para você.
Por isso, não deixe que as nuvens das ilusões e das revoltas infundadas contra as leis da vida tornem seu caminhar denso e lhe tolde a visão do que é belo e nobre.

Siga adiante refletindo na oportunidade milagrosa que é o seu viver.
Inspire profundamente e medite na alegria de estar vivo, coração pulsante e você, vivo, atuante, compartilhando deste momento do mundo, único, exclusivo. E você faz parte dele.

Sinta quão delicioso é o aroma do amanhecer, o cheiro da grama, da terra após a chuva, do calor do sol sobre a sua cabeça, ou da chuva a rolar sobre sua face.
Sinta o imenso prazer de estar vivo, de respirar. Respire forte e intensamente, oxigenando as ideias, o corpo, a alma.
Sinta o gosto pela vida. Detenha-se a apreciar as pequeninas coisas que dão sentido à vida.

Aquela flor miúda que, em meio à urze, sobrevive linda, perfumosa, a brilhar como se fosse grande.
Sinta-se vivo ao apreciar o voo da borboleta ou do pássaro à sua frente.
Escute os barulhos da natureza, a água a escorrer no riacho, ou simplesmente aprecie o céu, com suas nuvens a formar desenhos engraçados, fazendo e desfazendo-se sob seus olhos.

Quão maravilhosa é a vida!

Mas, se o céu estiver escuro e você não puder olhá-lo, detenha-se no micro universo, olhe o chão.
Quanta vida há no chão...
Minúsculos seres caminhando na terra, na grama...
A formiga na luta diária pela sobrevivência...
A aranha a tecer sua teia caprichosamente, e tantas coisas para ver, ouvir, sentir, cheirar, para fazer você sentir-se vivo.

Observar a natureza é pequeno exercício diário que fará você relaxar, esquecer por instantes as provas, ora rudes, ora amenas, que a vida nos impõe.
Somos caminhantes da estrada da vida, somando, a cada dia, virtudes às nossas caminhadas ainda medíocres, mas que se tornarão luminosas e brilhantes.

Aprenda a dar valor à dádiva de viver. Isso fará o seu dia se tornar mais leve e, em silêncio, sem palavras, sem pensamento de revolta, você terá tido um momento de louvor à Deus.
Aprenda a silenciar o íntimo agitado e a beneficiar-se das belezas do mundo que Deus lhe oferece, sendo assim, o seu colírio diário suavizando as aflições da vida.
Pense nisso, e aprenda a agradecer a Deus pela dádiva da vida.

Redação do Momento Espírita.

sábado, 8 de dezembro de 2012

Momentos difíceis da vida


Seria muito interessante se nossa vida sempre apresentasse apenas bons momentos, cheios de paz e amor, com bastante tranquilidade e a saúde sempre em alta. Seria muito bom se assim fosse. Mas, convenhamos, seria um tanto quanto monótono. Dizem que são as dificuldades que encontramos é que realmente dão gosto pela vida, pois vem provar nossa disposição, nossa vontade de viver.
Enfim, é o que justifica nossa passagem pela vida.

Pode-se dizer que tais momentos são como dias de chuva forte, em que tudo fica cinzento, a vida nos parece muito complicada, mas temos que prosseguir. Certas coisas parecem ser como testes para nós. Por vezes parece ser muito difícil a vida... mas não podemos desistir dela.

Deveremos sempre ter em mente que a vida é feita de bons e maus momentos. Se os bons são bem aproveitados, ótimo. Mas deveremos saber superar as horas de crise também, nunca nos entregando aos azares da vida, sempre procurando uma válvula de escape. Se temos algum ideal, é necessário estarmos preparados para tudo com o objetivo de realizá-lo. Se nos abatermos frente às dificuldades, certamente nada conseguiremos.

Se o momento é de chorar, saibamos que não é eterno, como não o será o momento de felicidade. Ambos fazem parte da vida. Será mais um momento em precisaremos lutar para nos reerguer, reconstruindo assim nossa felicidade, sempre estando conscientes disto a todo o instante, ao invés de simplesmente nos entregarmos às vãs lamentações.

Sem qualquer sombra de dúvida, mesmo que não nos seja possível realizar todos os nossos sonhos, deveremos ao menos lutar por eles, reagindo às adversidades da melhor maneira possível. Não é porque uma porta se fecha, que nosso mundo deve parar.
Por vezes sofremos um golpe duro demais, enfraquecendo nosso ânimo. Dá aquela vontade de mandar tudo para o espaço e desistir. É quando precisaremos tirar da manga aquela força interior, e resistir, e caminhar, tropeçando, aos trancos e barrancos, mas em frente.

Devemos seguir o exemplo do sol que sempre está em seu lugar, seguindo seu caminho, embora por vezes nuvens ofusquem seu brilho, ele sempre estará lá, por mais tempestades que ocorram. Ele nunca desiste. Fica alguns dias sem brilhar, mas passadas as borrascas, ei-lo lindo leve e solto como de costume. Nesse exemplo que devemos nos mirar, sempre procurando aquele algo mais, aquela força extra para prosseguir em nossa caminhada, sem nos deixar abater pelas intempéries da vida, que certamente nunca faltarão. O importante é estarmos preparados para enfrentá-las.

Não podemos e nem devemos permitir que nosso ânimo seja quebrado por esses momentos tempestuosos. Saibamos enfrentá-los com coragem e determinação, para recebermos o prêmio de nossa persistência. É muito gratificante quando se chega perto do fim da caminhada, poder olhar para trás, e ver como as dificuldades foram superadas. Como soubemos usar nossa força de vontade para vencer os obstáculos. Enfim, como soubemos viver procurando fazer nossa parte, sem empregar o prejuízo alheio, vivendo e deixando viver.

A vida é muito boa para ser vivida, basta que se saiba aproveitar suas lições. Basta que se saiba viver adequadamente, curtindo aquilo que de bom ela nos oferece, e sabendo superar o que de ruim possa vir pela frente.
Problemas? Quem não os tem? Saiba aceitá-los, entendê-los e superá-los. Parece uma sugestão muito simplista. E realmente, é uma fórmula simples. Sabendo que eles poderão surgir, será mais fácil seguir a receita.
Não podemos desejar que tudo seja um eterno mar de rosas. Seria bom se o fosse. Mas... como isso nem sempre é possível, vou procurar ajudar, desejando que todos tenhamos UM LINDO DIA!

"Que as boas e grandes lembranças sejam sempre maiores que a dor de nossa saudade."

Marcial Salaverry

domingo, 25 de novembro de 2012

Parabéns, Thais!!!

video

Parabéns, minha filha!!!
Hoje é o teu aniversário, estarias completando 34 anos.
Para ti, minha linda, um texto que expressa perfeitamente o que eu sinto. Pois dói demais o teu silêncio em minha vida, dói a saudade, e o imenso vazio que deixaste em meu coração. Mas o amor enxuga as minhas lágrimas, porque o meu amor por ti é maior que tudo, é eterno, infinito. E reconforta-me, filha, a plena certeza de que no céu tu vives feliz junto de Deus!
Hoje não poderei abraçá-la, mas daqui te envio o meu abraço terno e cheio de saudades... Te amo para sempre!

                         Mami


Para minha filha ausente

Como vai você filha, que partiu sem me dizer adeus.
Quisera nesse instante saber da sua vida
               na Espiritualidade;
Seu trabalho... Suas conquistas... Sua paz!

Ah! Se eu pudesse lhe dizer agora
Que fui o alvo perfeito da dor;
Meu peito atingido só pôde encontrar alívio
Nas palavras mansas do Cristo,
E na certeza da continuação da vida.

Como vai você, parte de mim?
Que distância é essa que maltrata e parece não ter fim!
Que dor é essa que cresce a cada instante
Sem dar trégua ao meu coração sofrido,
E fere minhas entranhas!

O que faço com esse vazio que teima em me envolver!

Como vai você, filha da minha alma?
Eu... Você, quer saber de mim?
Ah! Eu sou alguém ferido que mal suporta a fúria desse
Vendaval...
Mas se segura no amor de Deus
Para continuar existindo.

Eu sou alguém que se apaga... Para que você brilhe;
Que se curva ante a vontade suprema de Deus,
E espera com fé e confiança
A chegada do reencontro
Que se dará... Em algum lugar do futuro!

Pelo espírito: Irmão Ivo.
Vídeo criado por mim 
Música: Imagine - John Lennon


quarta-feira, 14 de novembro de 2012

A esperança


Há dias em que temos a impressão de que chegamos no fim do caminho. Olhamos para frente e não vislumbramos mais saída. Não há uma luz no fim do túnel, e não há também nenhuma possibilidade de volta.
Parece que todos os nossos projetos, nossos objetivos, foram levados para bem distante, e estamos sem possibilidade de alcançá-los.
Parece mesmo que o outono da existência fez com que secassem as nossas esperanças e o vento forte do inverno varresse das nossas mãos todos os sonhos acalentados.

A morte vem e arrebata os afetos da nossa alma deixando-nos o coração dilacerado.
Sentimo-nos perdidos. Não sabemos que rumo tomar. Ficamos atônitos.
Sentimo-nos como uma árvore ressecada, sem folhas, sem brilho, sem motivo para viver. É a desesperança.

De repente, como acontece com a natureza, a primavera muda toda a paisagem. As árvores secas enchem-se de brotos verdes, e logo estão cobertas de folhas e flores.
O tom acinzentado cede lugar às cores verdes de tonalidades mil. É a esperança.
Os entes queridos, que nos antecederam na viagem de retorno à Pátria Espiritual, um dia estarão de novo junto aos nossos corações saudosos, num abraço de carinho e afeição.

Tudo na natureza volta a sorrir. A relva verde fica bordada de flores de variados matizes, as borboletas bailam no ar, os pássaros brindam-nos com suas sinfonias harmoniosas. Tudo é vida!
Assim, quando a chama da esperança reacende em nosso íntimo, nossos sonhos desfeitos são substituídos por outros anseios. Nossos objetivos se modificam e o entusiasmo nos invade a alma.

Jesus, o Sublime Galileu, falou-nos da esperança no Sermão da Montanha, com o suave canto das bem-aventuranças.
Exemplificou-a nos Seus ditos e feitos. Enfim, toda Sua mensagem é de esperança.
Se formos visitados por qualquer dissabor e o desespero nos tomar de assalto, busquemos o nosso Amigo Maior, Jesus através da oração.
Predispondo-nos pela prece, a ajuda chegará certamente, como suave bálsamo a penetrar nas fibras mais íntimas do nosso ser, dando-nos alento e tranquilidade.

Se a desesperança acercar-se de nós, lembremos o Amigo Celeste a nos dizer:
Meu fardo é leve, meu jugo é suave.
Se Seu jugo é suave, por que não O aceitamos?
Se Seu fardo é leve, por que não O conduzimos?

Consideremos que o rigor do inverno pode ser o resultado da nossa falta de cuidado, submetendo-nos ao jugo da mentira, da ambição desmedida, do pessimismo, das queixas sem fim...
Ou talvez a desesperança resulte da nossa própria insensatez, carregando o pesado fardo dos prazeres inferiores, do orgulho, do egoísmo, da ganância, dos vícios de toda a ordem, e de outros tantos fardos inúteis que nos sobrecarregam os ombros destroçando-nos as forças.

Dessa forma, em qualquer circunstância, deixemos que a esperança nos invada a alma, confiantes em Deus, que sempre nos dá oportunidades novas para refazermos caminhos, buscando a nossa redenção.
A esperança deve ser uma constante em nossas vidas.
Esperança de melhores dias;
Esperança de realizações superiores;
Esperança de Paz.

Redação do Momento Espírita.

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Lágrimas de saudade


Quando as lágrimas de saudade chegarem aos seus olhos, deixe-as cair, rolarem pela sua face,
Porque é sua alma que precisa aliviar... Assim você viverá sua emoção e, sua saúde conservará...

Se por acaso as lágrimas verterem tanto e tanto, não permitindo você enxergar através delas, enxugue-as carinhosamente, procure o sol do outro lado,
Porque você nunca está sozinho... confie!
A bonança sempre vem após as tempestades...

Tenha muita fé... Acredite que você é único, especial,
E imagem e semelhança de Deus...
Que todos somos irmãos e que o mundo é uma grande Fraternidade...
Os desafios que enfrentamos servem para nosso crescimento e amadurecimento...

Nunca reclame da sua cruz... A caminhada é difícil, mas nada nesta vida é por acaso,
Tenha esperança, siga em frente. Que Deus o ajudará a carregá-la...
Assuma a sua responsabilidade diante da vida...
Ninguém é culpado do seu sucesso. Porque seria das suas frustrações e tristezas?
Você nunca vai estar sozinho(a), Deus sempre estará a postos para amenizar a sua dor,
Para apoiá-lo(la) quando chorar...

Procure a sua força interior... ela é sua, é a fé que você precisa para enfrentar as adversidades da vida!
E nenhum fracasso e sofrimento, por maior que seja, pode roubá-la!

Você sempre terá amparo e proteção nos braços ternos de Deus, 
Mesmo quando um vazio enorme invadir o seu coração;
Mesmo quando sentir desânimo, tristeza e solidão...
Mesmo se o mundo escurecer, se a dor e o medo o atacarem...
Basta fechar os olhos e, com o coração enxergar...
Assim você será abençoado!
Porque você é muito especial!

Texto de: Autor desconhecido,
modificado por mim.

* * *
A cruz é pesada... mas, sei que tudo nesta vida tem um propósito. Devemos aprender com as dificuldades e provações. Acreditar, e recomeçar a cada novo dia.
Hoje, dois anos e cinco meses sem te ver, minha filha querida...
As lágrimas rolam de tanta saudade...!!!

Peço a Deus que me fortaleça para continuar... e que Ele ilumine o teu caminho!
Fique sempre na paz. Te amo minha filhota!!!

Um abraço saudoso,

da tua mami

domingo, 21 de outubro de 2012

Uma vaga tristeza...


Você já percebeu que, às vezes, uma vaga tristeza se apodera do nosso coração e nos leva a considerar amarga a vida?
É que nosso espírito aspirando a felicidade e a liberdade, se sente esgotado, cativo a esta vida e ao corpo que lhe serve de prisão, em vãos esforços para sair dele.
Reconhecendo inúteis esses esforços, caímos no desânimo e, como o corpo sofre essa influência, toma-nos o cansaço, o abatimento, uma espécie de apatia. E nos julgamos infelizes.
A saudade dos amores que já se foram comprime-nos o peito, e a solidão aproveita para se instalar em nossa alma sofrida.
Os dias se sucedem e a tristeza teima em nos fazer companhia...

No entanto, é preciso que resistamos com energia a essas impressões que nos enfraquecem a vontade.
São inatas no Espírito de todos os homens as aspirações por uma vida melhor.
O próprio Cristo falou da felicidade que Deus nos reserva, da vida futura, após vencidas as etapas que nos competem na estrada evolutiva.
Devemos, por nossa vez, aguardar pacientemente o anjo da libertação, para nos ajudar a romper os liames que nos mantém cativos ao corpo carnal.
Lembremo-nos de que, durante a nossa estada na Terra, temos de desempenhar uma missão de que não suspeitamos, quer dedicando-nos à família, quer cumprindo outras obrigações que Deus nos confiou.

E se, no decorrer desse período, advierem as inquietações, as tribulações, as noites sem estrelas, os dias amargos, devemos manter-nos fortes e corajosos para os suportar.
Precisamos entender que a razão da vida é o sentido de uma caminhada. Somos, todos, peregrinos e companheiros. E como em todas as longas caminhadas teremos surpresas e dificuldades.
Nesses dias difíceis, é importante que fechemos os olhos e voltemos nossos sentimentos ao Alto, numa oração sincera, buscando forças.

E, ainda que tudo pareça envolto em escura neblina, perceberemos o som de uma melodia distante, convidando-nos a dar alguns passos a mais... É a voz suave do Pastor que jamais nos deixa sós.
É a cantiga dos imortais, que superaram com bravura as refregas da vida física, dizendo-nos que os momentos amargos duram pouco, e nos conduzirão à companhia dos amigos por quem choramos, e que, felizes por ver-nos de novo entre eles, nos estenderão os braços a fim de guiar-nos a uma região inacessível às aflições da Terra.

Todos os sofrimentos: misérias, decepções, dores físicas, perda de seres amados, encontram consolação na fé, na confiança em Deus e nos demais ensinos do Cristo.
Sobre aquele, que ao contrário, nada espera após esta existência, ou que simplesmente duvida, as aflições vêm com todo o peso e nenhuma esperança lhe alivia as amarguras.

Foi isso que levou Jesus a dizer: "Vinde a Mim todos vós que estais aflitos, que Eu vos aliviarei."

Redação do Momento Espírita.

sábado, 6 de outubro de 2012

Coisas do tempo


Você já deve estar sentindo como eu e quase todo o mundo, que o tempo está correndo depressa demais.
Não temos tempo para mais nada.

Isso me faz recordar uma história envolvendo Galileu, sobre a questão do tempo.
Perguntaram-lhe quantos anos ele tinha.
- "Oito ou dez anos, respondeu Galileu."
Obviamente aquele senhor de longa barba branca - sua figura clássica - tinha muito mais.
Então ele logo explicou:
- Tenho, na verdade, os anos que me restam de vida, porque os já vividos não os tenho mais. Como também, não temos mais as moedas que já gastamos.

E como não temos a sabedoria de Galileu, continuamos repetindo: Como passa o tempo!
Mas, na verdade, somos nós que passamos.
O grande cientista e astrônomo italiano sabia que estamos aqui de passagem.
Somos peregrinos e é bom pensar na meta que nos espera.
A certeza de que a nossa caminhada terrena tem um final.
E é o melhor recurso para valorizarmos mais cada minuto que aqui vivemos.
Assim podemos aproveitar o que realmente temos: O presente.
Convém desfrutarmos cada dia como se fosse o último.
O ontem se foi, acabou. Esse é o custo da vida.

Você cresce quando não perde a esperança, a vontade de viver, nem tampouco perde a fé. Cresce, quando aceita a realidade e tem orgulho de vivê-la.
Quando aceita seu destino, mas tem garra para mudá-lo.
Você cresce quando aceita o que passou, seguindo em frente e fazendo novos planos para o que está por vir. Cresce quando supera, se valoriza e é capaz de dar frutos.
Você cresce quando abre caminhos, assimila experiências e semeia raízes. 
Cresce quando se impõe metas, sem se importar com comentários e julgamentos.
Ao dar exemplos, independentemente do desdém, quando você cumpre com seu trabalho.
Cresce quando é forte de caráter, sustentado por sua formação e por sua sensibilidade.
Você cresce quando enfrenta o inverno mesmo que perca as folhas.
E quando colhe flores mesmo que tenham espinhos que deixam marcas no caminho, ainda assim você sacode a poeira.
Cresce quando é capaz de lidar com centelhas de ilusão, é capaz de perfumar-se com as flores e elevar-se com o amor.
Você cresce ajudando seus semelhantes, conhecendo-se a si mesmo e dando à vida mais do que recebe.

E, por último, uma lição  de vida, um rumo para a nossa caminhada:
- Nunca desvalorize ninguém, guarde cada pessoa dentro do seu coração, porque um dia você pode acordar e perceber que você perdeu um diamante...
Enquanto você estava muito ocupado colecionando pedras...

(Desconheço a autoria)
Texto modificado por mim.

terça-feira, 25 de setembro de 2012

A busca da paz interior!!!


Aconteça o que acontecer na sua vida, não perca a sua paz interior, ela é a força que você precisa para manter-se em equilíbrio mesmo durante as piores tempestades.
Manter a paz é fundamental para não cair nas armadilhas da depressão.
Cuide-se enquanto é tempo...

Busque sua paz de espírito e viva melhor, usando estas regrinhas básicas:
- Comece o seu dia em sintonia com Deus através da fé, na oração.
- Use o bom senso ao ler as notícias.
- Pare de ir no embalo dos alarmistas de plantão.
- Ao entrar no local de trabalho, faça uma prece em silêncio e cumprimente a todos com alegria.
- Respeite-se, se não estiver com vontade de falar com ninguém, retire-se e pare de fingir que está tudo bem.
- Peça ajuda. Para ajudar alguém precisamos estar muito bem. Se você não estiver bem, esqueça, você vai prejudicar a você e a quem pediu ajuda. A paz é uma conquista daqueles que se amam.
- Ame-se pelo amor de você mesmo!
Ninguém tem o direito de invadir a sua paz e se o estão fazendo é porque você está permitindo.
- Reveja seus atos. Tente manter sua tranquilidade mesmo que esteja passando por períodos difíceis. Para conservar a sua paz vale tudo: banhos relaxantes, orações, terapias, e muito amor.
- Siga com serenidade sua caminhada. Manter-se em paz é um exercício diário.
- Sorria mais, relaxe, busque um cantinho dentro de você para ser feliz. Você é responsável pelo seu bem estar. Estando feliz o outro seguirá o seu exemplo.
- Acredite em você.
- Valorize-se. Você merece muito mais do que tem hoje, e vai conquistar se mantiver seu pensamento positivo, sempre voltado para o bem, para suas conquistas, sonhos e desejos.
Só existem dois dias no ano em que nada pode ser feito. Um se chama ontem e outro amanhã. Portanto, hoje é o dia certo para amar, acreditar, fazer, e principalmente viver!

"Desenvolver força, coragem e paz interior demanda tempo. Não espere resultados rápidos e imediatos, sob o pretexto de que decidiu mudar. Cada ação que você executa permite que essa decisão se torne efetiva dentro de seu coração."

Texto de Dalai Lama - modificado por mim. 

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

O que mais sofremos


O que mais sofremos no mundo:

Não é a dificuldade.
É o desânimo em superá-la.

Não é a provação.
É o desespero diante do sofrimento.

Não é a doença.
É o pavor de recebê-la.

Não é o parente infeliz.
É a mágoa de tê-lo na equipe familiar.

Não é o fracasso.
É a teimosia de não reconhecer os próprios erros.

Não é a ingratidão.
É a incapacidade de amar sem egoísmo.

Não é a própria pequenez.
É a revolta contra a superioridade dos outros.

Não é a injúria.
É o orgulho ferido.

Não é a tentação.
É a volúpia de experimentar-lhes os alvitres.

Não é a velhice do corpo.
É a paixão pelas aparências.

Como é fácil de perceber, na solução de qualquer problema, o pior problema é a carga de aflição que criamos, desenvolvemos e sustentamos contra nós.

"Não percas, portanto, a tua preciosa oportunidade de aperfeiçoamento."
 (Emmanuel).

Psicografia de Chico Xavier
Ditado pelo Espírito Albino Teixeira

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Uma gota d'água


Você já parou, alguma vez, para observar uma gota d'água?
Sim, uma pequena gota d'água equilibrando-se na ponta de um frágil raminho...
Com graciosidade, a gotícula desafia a lei da gravidade, se balançando nas bordas das folhas ou nas pétalas de uma flor.
São gotas minúsculas, que enfeitam a natureza nas manhãs orvalhadas ou permanecem como pequenos diamantes líquidos, depois que a chuva se vai.
É por isso que um bom observador dirá que a vida seria diferente se não existissem gotas d'água para orvalhar a relva e amenizar a secura do solo.

Madre Tereza de Calcutá foi uma dessas almas sensíveis.
Um dia um jornalista que a entrevistava lhe disse que, embora admirasse seu trabalho junto aos pobres e enfermos, considerava que o que ela fazia diante da imensa necessidade, era como uma gota d'água no oceano.
E aquela pequena sábia mulher lhe respondeu: "sim, meu filho, mas sem essa gota d'água o oceano seria menor."

Sem dúvida, uma resposta simples e extremamente profunda, pois sem os pequenos gestos que significam muito, a vida não seria tão bela...
Um aperto de mão, em meio à correria do dia a dia...
Um minuto de atenção a alguém que precisa de ouvidos atentos, para não cair nas malhas do desespero...
Uma palavra de esperança a alguém que está à beira do abismo.
Um sorriso gentil a quem perdeu o sentido da vida.
Um pequena gentileza diante de quem está preso nas armadilhas da ira.
O silêncio, frente a ignorância disfarçada de ciência...
A tolerância com quem perdeu o equilíbrio.
Um olhar de ternura para quem pena na amargura.

Pode-se dizer que tudo isso são apenas gotas d'água que se perdem no imenso oceano, mas são essas pequenas gotas que fazem a diferença para quem as recebe.
Sem as atitudes, aparentemente insignificantes, que dentro da nossa pequenez conseguimos realizar, a humanidade seria triste e a vida perderia o sentido.
Um abraço afetuoso, nos momentos em que a dor nos visita a alma...
Um olhar compassivo, quando nos extraviamos do caminho reto...
Um incentivo sincero de alguém que deseja nos ver feliz, quando pensamos que o fracasso seria inevitável.
Todas essas são atitudes que embelezam a alma.

E, se um dia alguém lhe disser que esses pequenos gestos são como gotas d'água no oceano, responda, como Madre Tereza de Calcutá, que sem essas gotas o oceano de amor seria menor.
E tenha certeza disso, pois as coisas grandiosas são compostas de minúsculas partículas.
Sem a sua quota de honestidade o oceano da nobreza seria menor.
Sem as gotas de sua sinceridade, o mar das virtudes seria menor.
Sem o seu contributo de caridade, o universo do amor fraternal seria consideravelmente menor.
Pense nisso!

E jamais acredite naqueles que desconhecem a importância de um pequeno tijolo na construção de um edifício.
Lembre-se da minúscula gota d'água que delicadamente se equilibra na ponta do raminho, só para tornar a natureza mais bela e mais romântica, à espera de alguém que a possa contemplar.
E, por fim, jamais esqueça que essas mesmas pequenas e frágeis gotas d'água que, com insistência e perseverança, conseguem esculpir a mais sólida rocha.

Redação do Momento Espírita.

domingo, 2 de setembro de 2012

E muitos perguntam...


Diante da dor, que parece insuportável, muitos perguntam como irão prosseguir?
E o Pai responde que a fé é a luz que irá cicatrizar todas as feridas e nos mostrar um novo caminho.

Diante do desafio que destrói muitos sonhos, muitos perguntam como resistir à tentação de abandonar a jornada?
E o Pai responde que a prece é o remédio que sempre renova nossas forças nos momentos de maior provação.

Diante da tristeza, muitos perguntam como reencontrar o prazer de viver?
E o Pai responde que a alegria é uma semente que está dentro de cada um de nós e só quando cuidarmos do nosso terreno íntimo, ela poderá germinar.

Diante da queda, muitos perguntam como irão se reerguer e continuar?
E o Pai responde que a perseverança e a confiança são as ferramentas que nos ajudarão a atravessar qualquer tempestade.

Diante dos espinhos, muitos perguntam como suportar o sofrimento?
E o Pai responde que o mesmo espinho que hoje nos fere, amanhã será a flor a perfumar nossa vida.

Diante do erro, muitos perguntam como não se entregar ao desespero?
E o Pai responde que somos Espíritos eternos em constante evolução e que a cada dia progredimos rumo ao Alto e com fé, lá chegaremos, independente dos desatinos já cometidos.

Diante da perda, muitos perguntam como não temer a morte?
E o Pai responde que a morte é apenas a porta para um novo caminho, que o fim não existe e sim a chance de um novo recomeço.

Por isso, sigamos nosso caminho, vencendo nossos melindres, perseverantes em nossa reforma íntima, acreditando em nós e na Providência Divina e continuando a perguntar, porque o Pai jamais nos deixará sem resposta...

Sônia Carvalho
Autora do livro "E a vida se renova".

domingo, 26 de agosto de 2012

Quando menos esperamos...


Por maiores que forem suas dificuldades e provações, mantenha-se calmo e sereno. Confie em Deus que não desampara nenhum de seus filhos.
Nenhuma dor é eterna e, tudo mais cedo ou mais tarde, passará.
Nosso sofrimento começa a desaparecer quando começamos a entender o significado da dor.
O estado de rebeldia e contrariedade em relação ao sofrimento agrava nossas dores. Aceite tudo que lhe acontecer como vindo a seu favor e entenda que ninguém sofre sem motivo.

Deus é nosso Pai sábio e amoroso e jamais nos enviará fardos mais pesados que nossa capacidade de suportá-los.
A compreensão de que nada de mal nos acontece produz segurança interior.
Tenha compreensão e paciência diante das dificuldades surgidas.

André Luiz nos alerta dizendo: "a paciência em verdade é perseverar na edificação do bem a despeito das arremetidas do mal e prosseguir corajosamente cooperando com ela e junto dela, quando nos seja mais fácil desistir."

Prossiga lutando por tudo aquilo que considera justo, honesto, verdadeiro, e confie que as tormentas passarão.
Jamais recue diante das dificuldades, pois elas são colocadas em nosso caminho para testar nossa capacidade de superação.
Se o momento nos exige paciência, lembre-se de que Deus é paciência infinita.

Quando menos esperar as dores e dificuldades haverão passado, pois em um minuto apenas a tormenta acalma, a dor passa, o auxílio vem, o amor parte, o ausente chega e a vida muda. 


Autoria: Sândalo 

domingo, 19 de agosto de 2012

Recanto de Luz


Quantas pessoas caminham desoladas e sós...
Andam, e sentem que seus passos as conduzem a lugar nenhum...
Perderam, há muito tempo, o endereço da esperança...
Várias se debatem nas trevas da desilusão, do abandono, da desdita...
Sucedem-se os dias, as horas dobram-se umas sobre as outras, e os minutos passam como se trouxessem consigo uma soma cada vez maior de dissabores...
A vida lhes parece um eterno anoitecer, uma escuridão perpétua.
Milhares de criaturas estão à beira de um colapso nervoso.
Muitos corações estão quase sufocados de angústia, de saudade, de desespero, debruçados no passado, em busca de memórias perdidas.
Diante desse quadro, nós podemos ser um recanto de luz, convidando as criaturas a suave reconforto.

Podemos cultivar na intimidade um jardim de flores e luzes, a espalhar bênçãos de esperança.
Podemos ser a madrugada alegre, que traz consigo a melodia dos pássaros, anunciando o alvorecer.
Podemos ser o amanhecer daqueles que se debatem na escuridão, trazendo os primeiros raios de sol que vencem as trevas, irradiando claridade e conforto.
Podemos emitir uma frase de otimismo ou apenas uma palavra de fé viva que lhes restaure a confiança no futuro...
Incentivar-lhes a coragem de modo a que o desalento não se transforme em moléstia destruidora.
Ou então, estender a ponte do diálogo amigo, capaz de induzir ao reequilíbrio e à serenidade.

Sejamos um recanto tranquilo. Mas para isso é preciso que o cultivemos portas adentro do coração.
É preciso que semeemos flores de compreensão, de afabilidade e doçura.
É tão triste caminhar na solidão! Mais triste ainda é ter como companhia a desesperança.
Pensemos em romper, de vez por todas, as amarras do egoísmo que nos detém os gestos de amizade, de dedicação e afeto.
Vençamos, em definitivo, a indiferença, derrubando as muralhas do orgulho que nos impedem de vislumbrar as necessidades dos que caminham ao nosso lado.

Sejamos um recanto de luz, de paz, de esperança!

Agindo assim, sentiremos suave felicidade a invadir-nos a alma, penetrando-nos o coração e aliviando nossas carências e dores.
Na medida em que nos fazemos úteis a alguém, recebemos as bênçãos de que tanto precisamos. Esquecemos os pés feridos nos espinhos do caminho e sentimos nossas forças ampliadas.
Auxiliando-nos uns aos outros conseguiremos alcançar o topo da montanha escarpada de onde poderemos vislumbrar a ampla planície coberta de relva e flores, como prêmio pelos esforços realizados.
Não há noite que perdure para sempre. O ponto mais alto da escuridão é também o início da madrugada que traz consigo a claridade, vencendo as trevas.
As nuvens, por mais densas que pareçam, são efêmeras e passageiras, mas o sol é perene.

Redação do Momento Espírita.

domingo, 12 de agosto de 2012

O Trem da vida


Numa viagem de trem, ao longo do percurso, pode acontecer uma grande diversidade de situações.
A nossa existência terrena pode ser comparada a uma dessas viagens, mais ou menos longa.
Primeiro, porque é cheia de embarques e desembarques, alguns acidentes, surpresas agradáveis em alguns embarques, e grandes tristezas em algumas partidas.
Quando nascemos, entramos no trem e nos deparamos com pessoas que desejamos que sigam sempre conosco: os nossos pais.
Infelizmente isso não vai acontecer; em alguma estação eles descerão e nos deixarão órfãos de seus carinhos, amizade e companhias insubstituíveis.
Mas, durante a viagem outras pessoas especiais embarcarão e seguirão viagem conosco: os nossos irmãos, amigos, amores e filhos.

A viagem não é igual para todos.
Alguns fazem dessa viagem um passeio, outros encontrarão nela somente tristezas, e alguns circularão pelo trem, prontos para ajudar a quem precise.
Muitos descem e deixam saudades eternas... Outros passam de uma forma que, quando desocupam o seu assento, ninguém percebe.
Curioso é constatar que alguns passageiros que nos são caros, se acomodam em vagões distantes do nosso, o que não nos impede, é claro, que durante o percurso nos aproximemos deles e os abracemos, embora jamais possamos seguir juntos, porque haverá alguém ao seu lado ocupando aquele lugar.
Mas isso não importa, pois a vida é cheia de atropelos, sonhos, fantasias, esperas, despedidas...
O importante, mesmo, é que façamos a nossa viagem da melhor maneira possível, tentando nos relacionar bem com os demais passageiros, vendo em cada um deles o que têm de melhor.

Devemos nos lembrar sempre que, em algum momento do trajeto, eles poderão fraquejar e precisamos entendê-los, pois nós também fraquejaremos muitas vezes e, certamente, desejaremos que haja alguém que nos entenda.
A grande diferença, afinal, é que no trem da vida, nunca saberemos em que estação teremos que descer, e muito menos em que estação descerão os nossos amores, nem mesmo aquele que está sentado ao nosso lado.
É possível que quando tivermos que desembarcar, a saudade venha nos fazer companhia...
Porque não é fácil separar-nos dos amigos, nem deixar que os nossos filhos sigam viagem sozinhos. Com certeza será muito triste...
No entanto, em algum lugar, há uma estação principal para onde todos seguimos. Lá nos reencontraremos todos.
E quando chegar essa hora, teremos grande emoção em poder abraçar nossos amores e matar a saudade que nos fez companhia por longo tempo...

Que a nossa breve viagem seja uma oportunidade de aprender e ensinar, entender e atender aqueles que viajam ao nosso lado, porque não foi o acaso que os colocou ali.
Que aprendamos a amar e a servir, compreender e perdoar, pois não sabemos quanto tempo ainda nos resta até à estação onde teremos que deixar o trem.
Se a sua viagem não está ocorrendo exatamente como você esperava, dê a ela uma nova direção.
Observe a paisagem maravilhosa com que Deus enfeitou todo o trajeto...
Busque uma maneira de dar utilidade às suas horas. Preocupe-se com aqueles que seguem viagem ao seu lado...
Deixe de lado as queixas e faça algo para que a sua estrada fique marcada com rastros de luz...
Pense nisso... E, boa viagem!

Redação do Momento Espírita.

domingo, 5 de agosto de 2012

Lágrimas: palavras da alma


Muitas vezes, na vida, vivenciamos situações em que a emoção é tamanha que nos faltam palavras para expressar nossos sentimentos.
Podemos considerar as lágrimas como as palavras de nossa alma.
Através delas, somos capazes de demonstrar incontáveis sentimentos.
As lágrimas, na maioria das situações, escorrem de nossos olhos sem que tenhamos controle sobre elas.
Em alguns momentos, elas contam histórias de dores, mas também têm na sua essência, algo de belo.
Quando elevamos o pensamento, sintonizando com a Espiritualidade maior, seja com nosso anjo protetor, com o amado amigo Jesus ou com Deus, sentimos os olhos marejados.
Observando a natureza, temos a oportunidade de presenciar alguns espetáculos que ela nos oferece. Emocionamo-nos percebendo a natureza e a perfeição Divina na presença de um pôr-do-sol, de uma queda d'água ou de um arco-íris.

Diante do nascimento de uma criança, somente as lágrimas são capazes de traduzir e qualificar a magnitude desse instante Divino.
Quando estamos sensíveis, por vezes carentes de alguma manifestação de afeto, um simples aperto de mão ou um afago carregado de amor é suficiente para provocar nossas lágrimas.
Quando deixamos que o som de uma música elevada alcance nosso coração, somos capazes de chorar de emoção, pois sentimos a alma tocada e acariciada por aquela doce e vibrante melodia.
Tanto a dor emocional quanto a dor física nos chegam sem pedir licença, ocupando espaço considerável em nossa alma e em nosso corpo.
Lágrimas são derramadas pela dor da partida de um ente querido, pela dor da ausência e da saudade, pela dor de um erro cometido e pelo arrependimento.
Ao constatarmos a dor do próximo, lágrimas jorram de nossos olhos. Deparamo-nos com tantas carências, tantas necessidades não atendidas, enfermidades, privações e abandono.

Cada lágrima derramada tem seu significado. Seja ela vertida pela dor ou pela alegria, nos diz que somos seres movidos pela emoção, capazes de exteriorizar os nossos sentimentos.
Demonstra que nos sensibilizamos em momentos simples e efêmeros, indicando que estamos sintonizados com o que há de belo na vida.
E quando as lágrimas derramadas forem de dor, façamos com que o motivo que nos comove seja também o motivo que nos move.
           
                 Que o movimento seja no sentido da modificação íntima.
Que seja impulso para olhar a vida sobre um novo ângulo, para trabalhar em nós mesmos a resignação, a paciência, a esperança, a fé e a confiança em Deus.

Redação do Momento Espírita.

domingo, 29 de julho de 2012

A luz da vida


Somos pequeninas lâmpadas a procura de luz para iluminar-se, buscamos esta energia através da vida em vários caminhos, muitas vezes chegamos a achar que esta energia não existe e que só a escuridão nos acompanhará.
Nessa busca tomamos decisões e fazemos escolhas que muitas vezes não favorecem a nossa evolução, mas errar também faz parte dessa busca da luz da vida.


Em quantos momentos pensamos que nossa pequenina lâmpada jamais se acenderá e nos julgamos merecedores dessa escuridão sem fim, tudo isso, porque ainda não confiamos em nós e em nossa transformação.
Tenhamos então a coragem e a confiança de que a nossa capacidade é infinita e de que podemos sim ter uma vida de luz mesmo com nossas dificuldades.
Mas para isso é necessário que tenhamos a consciência de que a mudança de sentimentos e pensamentos é necessária e que mesmo com as dificuldades poderemos ter a luz da vida a nos iluminar os caminhos.


Sempre haverá luz se formos sinceros conosco e principalmente se exercitarmos em nós a perseverança de jamais esmorecer diante da queda de energia, porque certamente somos capazes de ceder forças para que nossos caminhos possam sempre estar iluminados.
Pense positivamente, reaja positivamente e lute confiante, na certeza de que a luz da vida jamais lhe faltará.


(desconheço autoria).

domingo, 22 de julho de 2012

Contar as bênçãos


A natureza, caprichosa artesã, jamais repete um alvorecer ou um pôr de sol.
A cada amanhecer o céu se veste com cores e tons diferentes.
Há manhãs de sol e de muita luz, que nos convidam a despertar sorrindo.
Há manhãs cinzentas, em que as nuvens escuras e densas cobrem sem piedade os raios dourados do sol.
Há tardes em que o poente assume cores que nem mesmo os mais criativos pintores jamais arriscaram usar em seus trabalhos.
Há poentes em que a garoa fina domina a paisagem, ocultando, em meio à bruma, até mesmo as árvores mais próximas.
Há noites sem luar, quando as sombras invadem nosso olhar e as estrelas distantes parecem senhoras de um brilho ainda mais intenso.
Há dias de sol e há dias de chuva.


Assim também são os momentos de nossas vidas.
Nenhum minuto repete minutos anteriores.
Nenhum dia é igual a outro que já vivemos, tampouco será idêntico a algum que ainda vamos viver.
A vida é feita de experiências únicas que, somadas, criam o arcabouço de nossa história.
Há momentos de alegria e momentos de dor.
Há conquistas que nos felicitam.
Há perdas que nos dilaceram.
Tudo que vivemos e aprendemos integra nossas existências e forma o ser que somos ou que um dia seremos.
É evidente que nem todos os momentos são fáceis.
Há dificuldades que nos parecem intransponíveis e dores infinitas.
Nesses momentos o desalento deita sobre nós o peso do sofrimento e da angústia.
Curvamo-nos, incapazes de olhar o horizonte, e só vislumbramos as pedras do caminho.
Não somos capazes de perceber a luz do sol que brilha acima das nuvens.
Tampouco notamos a beleza das flores que emolduram a nossa estrada.
Nessas ocasiões, lembremo-nos de contar as bênçãos recebidas.
Enumeremos as dádivas que iluminam nossos dias.
São tantas!
O corpo físico, instrumento bendito que nos possibilita mais essa jornada terrestre;
a família, composta por amores do passado e do presente, oportunizando-nos reconciliação e crescimento conjunto;
os amigos, presenças que nos fortalecem e animam nas mais variadas situações;
o trabalho, fonte de recursos materiais a sustentar-nos e engrandecer-nos;
a mensagem do Cristo, guiando nossos passos por trilhas de luz, consolando-nos sempre;
a natureza exuberante, prova inequívoca da existência e da presença de Deus em nossos dias.


                                                            ***
Não deixe que as adversidades ocultem dos seus olhos as bênçãos que a vida lhe concede.
Não se entregue ao desespero. São apenas dias de chuva a preceder manhãs de sol.
São situações passageiras e necessárias para o aprendizado do espírito.
Conte as bênçãos que já lhe chegaram às mãos e que hão de fazer eternamente parte de sua existência imortal.
Levante os olhos, seque as suas lágrimas e prossiga sempre!


Redação do Momento Espírita.
Em 31/01/2010.

domingo, 15 de julho de 2012

O Recomeço é possível


Sim, sempre poderemos recomeçar. E recomeçar significa não desistir, mesmo diante de tantas provas que parecem nos tirar o chão, nos levar à falsa crença de que não haverá salvação, de que o melhor é desistir.
Recomeçar é ir adiante, passar pelos espinhos e manter a cabeça erguida, mesmo que em muitos momentos as lágrimas estejam conosco.
Recomeçar é guardar no coração as lembranças dos momentos felizes já vividos, mas ao invés de se prender à tristeza pelo que não tem retorno, sair a buscar novos horizontes, é aliar fé e perseverança e perceber o quanto ainda podemos conquistar.
Recomeçar é sentir-se fragilizado diante de uma perda, mas não pensar jamais em abandonar a estrada que está a nossa frente, pelo contrário, é caminhar, lentamente, mas sempre caminhar.


Recomeçar é ir adiante com confiança e não temendo as tempestades que se formarem.
Recomeçar é acordar a cada manhã, abraçar o dia que está nascendo e ao invés de se prender às dificuldades, enxergar a nova oportunidade de renovação que bate a nossa janela.


Recomeçar é compreender que tudo tem o seu tempo. Que nenhum sofrimento cessa de uma hora para outra. A dor não termina como um passe de mágica. As dificuldades são superadas uma a uma.
Recomeçar é trilhar o caminho à frente, mesmo que ele seja cercado de espinhos.
É entender, que durante o recomeço, muitas ainda serão as vezes que sentimentos negativos irão querer nos envolver e nos desanimar. Mas mantendo a chama da fé acesa, não iremos parar.
Recomeçar é enfrentar as provas que estão ao nosso lado e perceber que outras provas também virão, mas que trazemos em nosso íntimo, a coragem para enfrentá-las.
Recomeçar é não ficar esperando por milagres, mas ser a cada dia, o próprio milagre de sua vida, trabalhando, perseverando e atingindo o destino tão aguardado.


Recomeçar é não desanimar com a caminhada, tudo tem o seu tempo. A dúvida só acaba, quando vamos atrás das respostas e descobrimos que elas estão em nosso íntimo.
O medo só vai embora quando nos aliamos à determinação e o encaramos de frente. O fardo só se torna mais leve, quando deixamos de nos sintonizar com os sentimentos nocivos, buscamos nos ligar com o Alto e sentimos nossas forças aumentarem.
O recomeço é sim possível, porém gradativo.
Não se muda sentimentos em horas. Não se modifica um caminho, sem perseverança.
Não se vence o mal, se não trabalharmos constantemente no bem. Não se chega ao amanhã, se não vivermos o hoje.


Recomeçar é degrau a degrau, passo a passo, lentamente, com confiança e força de vontade, aí de repente, quando olhamos para trás, iremos perceber o quanto já caminhamos.
Recomeçar é mudar os rumos da vida, lutando a todo instante, enfrentado as adversidades com as ferramentas internas que cada um de nós possui.
Recomeçar é saber que passaremos por novas tormentas, nos sentiremos pequeninos em alguns momentos e carentes em outros e também teremos receios, mas recomeçar é se abastecer com a fé verdadeira que a tudo fortalece.
Recomeçar é perceber que em alguma curva, seremos envolvidos pela escuridão, voltaremos a cair e talvez venhamos a nos sentir desamparados.
Mas recomeçar significa também, abrir a janela íntima para que o sol adentre, ilumine, aqueça e nos mostre quanto potencial trazemos conosco.


É encontrar a verdade que nos mostra que aquele ente querido que partiu, não se foi eternamente e quando recomeçamos, estamos caminhando e, cada vez mais, estaremos nos aproximando das pessoas que tanto amamos e que voltarão a estar ao nosso lado.
Mas se não recomeçarmos, não teremos como acreditar nesse reencontro...


Recomeçar é enxergar a destruição que há ao redor, mas antes que o desespero se aproxime, arregaçar as mangas e começar a reconstruir o que foi destruído, sabendo que não nos encontramos sozinhos nessa obra.
É cuidar das feridas, constatando que elas precisam de tempo para cicatrizar. É ter paciência enquanto novas cores são desenhadas e a mudança se aproxima.
É compreender que anos de trevas não se apagam imediatamente, mas sim, requerem a união da fé, da esperança, do otimismo, da coragem e da certeza de que não estamos sozinhos, mas precisamos fazer a nossa parte.
Recomeçar nasce dentro de nós e pouco a pouco vai se exteriorizando.


Recomeçar é ultrapassar tantas pedras que ainda estão no caminho. Semear flores para que elas passem a enfeitar o nosso caminho.
Cultivar o amor, porque tendo o amor como companheiro de viagem, nos fortalece mais ainda durante o recomeço, porque o amor a tudo renova.
Recomeçar é voltar a sonhar, mas principalmente buscar pelos sonhos. É encarar as provações como possíveis de serem superadas. E buscar também, compreender a lição que cada prova sempre nos traz. 
Recomeçar é amadurecer, é refletir, escolher o caminho do bem.


Recomeçar é acreditar que podemos voltar a andar e reencontrar a paz. Fazer com que a serenidade volte a pulsar em nosso íntimo.
É afastar o mal e aproximar-se dos missionários de luz, que acompanham os nossos passos.
Recomeçar é abraçar o evangelho do Mestre.
E desse abraço, poder enxergar o Mestre iluminado a nossa frente a nos dizer:


"Vinde a mim todos os que estais cansados e oprimidos e eu vos aliviarei" (Matheus 11:28).


A cada recomeço o Mestre estará conosco, ouvindo nossas aflições, aliviando nossas dores, nos estendendo a Sua mão e nos aquecendo a todo instante com o Seu eterno amor.
Recomeçar é seguir o trajeto sabendo que o Mestre está conosco, nos carregando no colo, nos momentos em que a dor se tornar forte demais.
Recomeçar é pegar o arado, preparar a terra, semear os bons frutos e assim, chegar a um novo amanhecer.
Recomeçar é batalhar pelas conquistas.
Descobrir novos caminhos.
Usar os talentos que possuímos.
Descobrir a chama da esperança que há dentro de nós.
Sintonizarmos com o Alto e não temermos as dificuldades, por maiores que pareçam.
Saber que o fim não existe, há recomeço.


Recomeçar é buscar o sorriso, é compartilhar as tristezas. Unir forças com os companheiros de jornada.
Seguir confiante... E perseverar!


"O recomeçar não é rápido, nem fácil, mas sempre possível."


Recomeçar no hoje, no amanhã e sempre que necessário... Porque recomeçar é eternamente possível...


Sônia Carvalho
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...